fbpx

Mark Zuckerberg planeia mudar o nome do Facebook

Esta semana, haverá novidades sobre a empresa detentora das redes sociais Facebook, Instagram, WhatsApp, entre outras. 

Esta semana, haverá novidades sobre a empresa detentora das redes sociais Facebook, Instagram, WhatsApp, entre outras. Segundo o website The Verge, a empresa mudará de nome para refletir o seu objetivo na construção do metaverso. 

De acordo com o mesmo website, o novo nome será revelado por Mark Zuckerberg esta quinta-feira, dia 28 de outubro, na ‘Connect’, a conferência anual da empresa. 

Com esta mudança, o gigante da tecnologia pretende posicionar-se mais como uma empresa metaversa, visto que, atualmente, o Facebook conta mais de 10 mil funcionários inteiramente dedicados à construção de hardware de consumo. Uma das grandes apostas são os óculos de AR (realidade aumentada), um aparelho que, na perspetiva de Zuckerberg, irá estar tão presente nas nossas vidas como os smartphones. 

Em julho deste ano, o CEO do Facebook já tinha avançado ao The Verge que a sua intenção para um futuro próximo é fazer “a transição de pessoas que nos veem principalmente como uma empresa de redes sociais para uma empresa metaversa”. 

Qual será o novo nome? 

O novo nome do Facebook está no segredo dos deuses. Consta que um possível nome poderia ter algo a ver com ‘Horizon’, o nome da versão de VR (realidade virtual), ainda não lançada de Facebook-meet-Roblox que a empresa tem desenvolvido nos últimos anos. O nome desta aplicação foi alterado recentemente para Horizon Worlds.

Meta-quê? 

O Facebook tem vindo a estabelecer as bases para um maior foco na próxima geração tecnológica. No verão passado, montou uma equipa metaversa dedicada. Mais recentemente, anunciou que pretende contratar mais 10 mil funcionários para trabalhar no metaverso na Europa.

Embora a empresa de Zuckerberg tenha vindo a apostar fortemente na ideia do metaverso, este ainda não é um conceito amplamente compreendido. O termo fica a dever-se originalmente ao romancista de ficção científica Neal Stephenson, para descrever um mundo virtual para o qual as pessoas escapam. 

Primeiro Google, depois Alphabet 

O Facebook não é a primeira empresa de tecnologia conhecida a mudar o nome à medida que as suas ambições se expandem. A Google, por exemplo, reorganizou-se inteiramente em 2015, sob uma holding chamada ‘Alphabet’, em parte para deixar bem claro de que é muito mais do que um motor de busca.