PATRÍCIA NETO

Head of Design

Quando queremos saber quais as novas tendências e funcionalidades das redes sociais, não vamos ao Google, perguntamos à Patrícia. Mas nem só de Internet se faz a vida da Patrícia, como ficarás a saber, após leres esta entrevista. 

Uma imagem de infância que não esqueces.

Quando aprendi a andar de bicicleta na fonte férrea com os meus pais e irmão. 

Descreve a Patrícia dessa altura.

Era a mesma, mas mais pequena. Era mais inocente. Mas, no fundo, ainda sou a mesma pessoa. 

Uma asneira que fizeste na adolescência ou enquanto estudante universitária.

Enquanto estudante universitária, quis viver tudo de uma só vez. Saía todos os dias. Mas não considero isso uma asneira.

Os teus amigos ou colegas tratam-te por alguma alcunha?

Os amigos tratam-me por Patrícia, que é como eu gosto. Aqui, na LCPA, a Inês trata-me por “Patricinha” e o Pedro chama-me de “Patch”. 

Uma coisa para a qual não tens jeito nenhum.

Dar entrevistas (risos). Também me dizem que não tenho jeito para cantar, mas ainda ninguém foi convincente o suficiente para que deixasse de o fazer. 

Uma receita que te sai sempre bem.

Massa à Carbonara. Sandes mista também nunca falha. Sandes mista, sem manteiga. 

Um sítio que revisitas com frequência.

Vou muitas vezes à marina de Olhão. 

Três viagens que fazem parte da tua wish-list.

Cuba, Bali e Japão. 

Uma pessoa, anónima ou famosa, para ir contigo em cada uma dessas viagens.

É muito difícil escolher só uma pessoa. Todas as pessoas de que me lembro teriam de ir com mais pessoas. Famosos não me faz sentido, preferia fazer essas viagens com alguém que conheço. 

Um ritual de domingo.

Dormir até à hora de almoço, sendo que a hora de almoço pode ser às 3 da tarde. 

O Pedro pergunta*: “o que mudarias na tua vida?”

Deixaria de preocupar-me tanto, de sofrer por antecipação. 

Deixa uma pergunta para o colega que se segue*.

Qual a rotina mais simples do dia a dia que te traz mais felicidade? 

*As entrevistas aos elementos da equipa da LCPA foram realizadas por ordem aleatória. No final, cada um foi desafiado a deixar uma pergunta para o colega que se seguia.