Érica Tomás

Junior Designer

A Érica conquistou de imediato toda a equipa da LCPA. É impossível ficar indiferente ao sorriso e gargalhada contagiantes desta menina super despachada!

Uma imagem de infância que não esqueces.

A casa da minha avó fica numa subida. Então, eu e o meu irmão, quando éramos pequenos, levávamos dias a descer essa subida, num carrinho que nos ofereceram no Natal. Para picar o meu irmão, eu empurrava-o com muita força para ver se ele caía. Era muito engraçado! Depois, a minha mãe chateava-se connosco porque o meu irmão aparecia todo esfolado.

Descreve a Érica dessa altura.

Andava sempre a cantar e a dançar. Não parava quieta. Mesmo em sítios onde tínhamos de estar direitinhos, como na missa, eu estava sempre a bailar. Não conseguia parar quieta. Falava com toda a gente. Tratava toda a gente por “tu”, como se todos fossem meus amigos! Era muito chata…

Uma asneira que fizeste na adolescência ou enquanto estudante universitária.

Eu tirei o curso em Évora. Num dos fins de semana em que lá fiquei, estive o tempo todo sem ligar a ninguém, sem dar sinal de vida. Tinha ido a uma festa no dia anterior, estava muito morta. 

 

A minha mãe estava muito preocupada e ligou à polícia, para ir à minha procura. 

 

Quando a polícia bateu à porta, não queria abrir, porque eu pensava que ia ser presa por ter um sinal de trânsito na sala. Eu ainda estava um bocadinho bêbeda. Então, não abria a porta. Só que eu tinha deixado a janela da cozinha aberta e, quando dei conta, os polícias já estavam a entrar pela janela da cozinha e eu só tive tempo de tapar o sinal com um lençol. 

 

Então, de repente, apercebi-me de que tinha 4 polícias a olhar para mim e mais dois colegas do 3.º ano do curso. Estavam todos à minha procura!

Os teus amigos ou colegas tratam-te por alguma alcunha?

Chamam-me “pataca”, devido à maneira como me rio. Dizem que pareço aquelas galinhas africanas.

Uma coisa para a qual não tens jeito nenhum.

Passar a ferro.

Uma receita que te sai sempre bem.

Essa é fácil. Legumes à Brás. Já fiz várias vezes. Por isso, sai sempre bem!

Um sítio que revisitas com frequência.

A Praça do Giraldo, em Évora. Adoro!

Três viagens que fazem parte da tua wish-list.

Roma, Austrália e Nova Iorque.

Uma pessoa, anónima ou famosa, para ir contigo em cada uma dessas viagens.

Ia com a Cristina Ferreira a Nova Iorque. Aos outros sítios iria com a minha mãe ou com o meu irmão.

Um ritual de domingo.

Antes de surgir a pandemia, ia jantar à casa da minha prima com a minha família. Íamos sempre lá e víamos todos juntos os reality shows que davam na televisão.

A Margarida pergunta*: "o que é mais importante na tua vida para te sentires realizada?"

O que me faz sentir realizada é saber que estou sempre em busca de conhecimento e que existe sempre algo a aprender, para poder atingir os desafios e metas traçados por mim.

 

E ver os que me rodeiam, família e amigos, a superar desafios e a alcançar os seus objetivos.

Deixa uma pergunta para o colega que se segue.

Qual o sonho mais estranho que já tiveste?

*As entrevistas aos elementos da equipa da LCPA foram realizadas por ordem aleatória. No final, cada um foi desafiado a deixar uma pergunta para o colega que se seguia.