fbpx

Será que preciso mesmo de um branding?

Este tema de ter ou não ter uma marca sempre foi algo que esteve em discussão. O que é certo é que não ter marca é como não estar presente na mente do consumidor, ou seja, é como se não existisse na área de negócio em que está inserido. É como também não fazer parte de uma escolha lógica na hora da tomada de decisão de compra de um produto por parte de um consumidor.

Resumindo, sem ter uma marca é muito mais desafiante e complexo para que possa crescer no mercado e se destacar de todos os outros players existentes. Uma boa estratégia de branding pode significar um aumento médio de 23% nas receitas do teu negócio, podes ver alguns estudos sobre o tema no e-book 2021 Brand Consistency Report by Lucidpress.

 

Depois de analisares estes dados, achas que consegues dar-te ao luxo de não ter um bom branding para a tua empresa/negócio? Creio estarmos de acordo ao dizermos que não.

 

Vamos lá então falar mais um pouco sobre o que é isto do branding.

O que é branding?

De uma forma genérica, branding é uma estratégia que começa com a construção de um bom naming e depois um bom logótipo, que depois vão ser incorporados e desenvolvidos numa estratégia de gestão dessa marca, que envolve todas as ações que tem como objetivo tornar essa marca mais forte e mais reconhecida no mercado, para que seja facilmente reconhecida pelo público, admirada e desejada por aquilo que oferece. Logicamente que dado que é um processo de introdução de algo novo no mercado, demora o seu tempo até obtermos resultados, ou seja, o expectável é termos resultados a médio e a longo prazo. Não se podem esperar resultados do dia para a noite, daí ser um processo estratégico para que se alcance resultados. A estratégia de branding envolve logicamente marketing, mas não é apenas isso.

 

E não é apenas isso porquê? Porque as marcas são feitas por pessoas para pessoas, ou seja, quem está por detrás da marca tem de acreditar na marca para que as outras pessoas também possam acreditar. Por isso, é fundamental ter uma equipa de especialistas a ajudá-lo a desenvolver a estratégia da sua marca e que essa equipa acredite tanto quanto o promotor da marca acredita. Sem este passo será sempre muito mais desafiante atingir um bom resultado, pois se os promotores das marcas não acreditarem na marca, dificilmente os consumidores irão acreditar.

 

É por isso que fazer branding é menos publicidade e mais conexão emocional com a mente e o coração do consumidor. E aí é que está o grande desafio.



Será que preciso mesmo de um branding?

Se continuas a ler este artigo, é porque certamente acreditas que precisas de um branding, ou se já o tens, se calhar, necessitas de uma estratégia associada ao mesmo. Mas se ainda não estás convencidos e ainda te estás a questionar sobre a importância de uma boa estratégia de branding, se calhar é hora de repensares o teu ponto de vista. Vamos lá então:

 

Quando o vínculo com a marca é percebido, o consumidor sente que a marca tem uma resposta para os seus problemas e interesses: 65% dos consumidores pensam algo do género: “esta marca, preocupa-se com pessoas como eu.”

 

Qual é a marca que achas que o consumidor vai procurar no momento em que lhe surgir a necessidade de aquisição do teu produto?

 

Isto também acontece em negócios B2B, pois 77% dos líderes de Marketing B2B afirmam que a marca é fundamental para o crescimento do negócio e 82% dos investidores acreditam que a força da marca e o reconhecimento da marca são aspetos importantes, que ajudam a decidir onde investir os seus recursos.

 

Vamos fazer um pequeno exercício: quando precisas de comprar roupa, qual a marca que te vem à cabeça? Provavelmente Zara, Primark ou Lefties…

 

Ou quando precisas comprar uns ténis, provavelmente as primeiras marcas nas quais pensas é Nike ou Adidas.

 

Isto acontece porque estas marcas utilizam excelentes estratégias de branding e estão presentes em todo o lado.

 

Penso que agora já estás mais convencido e a mensagem é clara. Seja para te relacionares com o teu público, seja para crescer no mercado, vender mais ou atrair mais investimentos para o teu negócio, é fundamental que este tenha uma marca forte.

Diferença entre branding e posicionamento de marca

Estes dois conceitos são muito semelhantes e, por vezes, são confundidos, mas branding e posicionamento de marca têm as suas diferenças.

 

Fazer branding exige uma abordagem integrada e com objetivos variados, e dentro da estratégia de branding é que se insere o posicionamento de marca como um dos pontos definidos na estratégia. O posicionamento da marca está relacionado com a imagem que a empresa deseja construir junto do seu consumidor/público. Logo, o posicionamento de marca tem a ver com os valores defendidos pela marca.

 

Exemplo: Não é por acaso que relacionamos os produtos Pantene a um cabelo altamente bem cuidado e muito feminino.

 

Esta nossa perceção é fruto do posicionamento da marca em querer destacar-se neste sentido.

 

Podíamos falar ainda de outros exemplos como a Coca-Cola, a Apple, entre outras marcas, que têm o seu posicionamento altamente bem definido.

 

Segundo um estudo feito na Harvard Business Review, 64% dos consumidores elegem os valores partilhados como a principal razão para se relacionarem com uma marca.

 

Conclusão

 

Penso que ficou claro a importância de ter um bom branding no teu negócio, independentemente de qual seja o negócio e da área de atuação.

 

É a partir do branding que nasce o reconhecimento do teu público sobre aquilo que a tua marca oferece.

 

Os teus produtos podem ser muito bons, de extrema qualidade, mas se não tiverem uma boa marca associada, com um bom nome e um bom logótipo, talvez poucos consumidores a queiram experimentar.

 

Está na hora de mudar e finalmente definires a tua estratégia de branding.

 

Founder / COO