Product Placement: a estratégia “fantasma” indispensável para as marcas

O product placement – colocação de produto, é uma estratégia “fantasma” utilizada em muitos dos filmes, séries, músicas que consumimos, que deixa na mente do consumidor uma necessidade inconsciente de adquirir um determinado produto ou marca. 

product placement

O que é o product placement e a sua origem?

O product placement é uma estratégia de marketing indireto, utilizada há mais de 100 anos, que consiste na introdução natural de marcas, dos seus produtos e mensagens, em conteúdos de entretenimento como: programas de televisão, filmes, séries, jogos, videoclipes, revistas, entre outros.

 

É considerada uma estratégia “fantasma”, pois a promoção do produto é feita de forma subtil, muita vezes em segundo plano, como, por exemplo, retirar-se algum alimento do frigorífico e ao fundo surgir uma garrafa de Coca-Cola. Esta subtileza pode parecer inofensiva, no entanto, a mente do consumidor retém a informação no seu inconsciente, que mais tarde vai influenciar o seu processo de compra.

 

Foi em 1919 que surgiu a primeira aplicação desta estratégia, no filme “The Garage”, onde, em várias cenas, se podia observar, em plano de fundo, uma fachada com o nome Firestone. Esta introdução, embora polémica, veio revolucionar a forma das marcas olharem para os conteúdos de entretenimento, passando a vê-los como uma oportunidade de se posicionarem na mente do consumidor.

6 tipos de product placement

O product placement pode surgir de múltiplas formas dentro dos conteúdos de entretenimento, permitindo o desdobramento da promoção e a exploração total dos recursos existentes. 

 

Product Integration: acontece quando uma marca, os seus produtos ou mensagens, surgem de forma ativa em conteúdos que não foram criados por iniciativa do anunciante.

 

Destination Placement: acontece quando um destino turístico se torna parte importante dentro do conteúdo e ganha destaque visual e conceptual. 

 

Easter Egg: utilizado quando aparecem elementos da marca escondidos dentro do conteúdo, de modo que apenas os fãs possam encontrar. 

 

Faux Placement: surge quando existe uma marca fictícia dentro do conteúdo de entretenimento. 

 

Music Placement: é utilizado quando uma música é inserida dentro do conteúdo, tornando-se numa oportunidade de crescimento das mesmas.

 

Reverse Placement: é a transposição de marcas fictícias, que surgiram dentro do conteúdo, para o mundo real. 

Por que é que as marcas devem investir em product placement?

A forma de consumir conteúdo e, consequentemente, a forma de comprar produtos tem sofrido alterações consideráveis com o passar do tempo. Isto reflete-se na impaciência que o consumidor tem em passar um anúncio à frente ou na distração frequente do mesmo quando surge publicidade na televisão. 

 

Para aprofundar este tema, podes ler o nosso artigo sobre uma nova perspetiva do funil de vendas.

 

Com a perda de força dos anúncios tradicionais, as marcas necessitam de se reinventar e de chegar aos seus consumidores de forma diferente, criando e despertando sentimentos e conexões mais fortes entre a marca e os mesmos. Uma das mais utilizadas é a associação das marcas a personagens, sentimentos felizes ou a momentos felizes impactantes num filme, ou série.

Vantagens do uso de product placement na estratégia de uma marca

Existem várias vantagens que advêm da utilização do Product Placement numa estratégia de uma marca, como:

 

     • Ganho de visibilidade, pois a mesma vai surgir várias vezes no conteúdo e permanece no mesmo de forma intemporal. Se, por exemplo, for num filme, aquela marca perdurará no mesmo para sempre.

     • Excelente custo-benefício, pois esta é uma estratégia que, embora de elevado custo, gera um retorno maior que o investimento.

     • Aumento da relevância, devido à associação da marca, dos seus produtos e como estes são utilizados, a sentimentos positivos e impactantes. 

     • Prova social, que ocorre quando o consumidor sente a necessidade de adquirir determinada marca, pois na sua série/filme preferido, ou a sua personagem preferida utiliza a mesma e assim, o consumidor sente-se parte de algo maior ou inserido num determinado grupo social. 

Exemplos de product placement

Série “La Casa de Papel”, na Netflix

Nesta série, a cerveja Estrella Galicia surge em diversos momentos de convívio, associados a celebrações e ao sentimento de felicidade partilhado pelas personagens da mesma. Esta ação integra o plano de expansão da marca, cujo objetivo é ser reconhecida fora da Europa.

 

Série “Stranger Things”, da Netflix

Aqui a personagem principal contracena inúmeras vezes com a marca de panquecas Eggo, destacando-se como a sua comida preferida.

 

Série “Emily in Paris”, da Netflix 

Na série, a história é desenvolvida em torno da mudança da personagem para Paris, sendo este, um exemplo de destination placement.

 

Marca “Duff Beer”, da série “Os Simpsons”

Este é um caso ilustrativo de reverse placement, pois na série surge uma marca de cerveja, a Duff Beer, que, mais tarde, surgiu no mundo real. 

Estes exemplos são prova de que o product placement pode ser aplicado de diversas maneiras e, mesmo que de forma subtil, geram impacto na mente do consumidor.

Esta estratégia está em todo o lado e é uma aposta cada vez mais recorrente das marcas. 

Estágio Curricular em Marketing